Páginas

09 agosto, 2014

Uma carta para todos os pais!




Meu pai ...

Eu te amo. Seria até clichê só dizer isso. Vou mais além ... 

Tenho prazer de te chamar de pai. Todos os dias, sem citar seu 

nome. Em momento algum, apenas, pai. 

Sei o quão difícil é ter que ser chamado por esse pronome de 

tratamento. Que lhe carrega um dever muito grande de 

expectativas e comportamento para se fazer. Vão além de ter que 

trabalhar todos os dias pra trazer dinheiro para casa, até 

para servir de inspiração. Nós já não gostamos de que tenhamos 

que cumprir regras simples, imagine sermos tratadas de tal forma.


Tenho orgulho do "Senhor". Do que faz e se propõe a fazer por 

nós. Filhos que não damos o valor para seus feitos.